Minha foto
Professor Licenciado em Geografia e tenho me dedicado a essa ciência encantadora que é a geografia. Venha conhecer também.

Contribuição.

Pessoal! Aqui vai uma grande Contribuição do meu amigo Welton, mais conhecido como meu amigo Issac. rsrsrsrsrs!

(Re)Pensando o consumismo - 1ª PARTE

Welton Fontes (Prof. de História)

Os EUA lidera um grupo de países que estimulam a manutenção de um modelo de sociedade baseada no consumo. Esta política teve seu surgimento no pós 2ª guerra e estabeleceu "FORMAÇÃO" de indivíduo continuamente transformado e readaptado, pois os indivíduos precisam tornar-se espécies de “consumistas ambulantes”, para que sejam flexíveis à velocidade das transformações que o consumo impõe, comprando os últimos modelos de aparelhos, acompanhando a moda e consumindo por muitas vezes sem necessidade.

A sociedade do pós-guerra é a sociedade de risco, “onde não se tem mais uma proposta de distribuição dos ganhos, mas sim uma distribuição das perdas”, e o Brasil é sim uma destas vítimas apesar de não possuir um nível de consumo tão exagerado quanto o dos estadunidenses e europeus. Um exemplo dessa democratização das perdas pôde ser desmascarado esse ano, quando uma empresa inglesa enviou centenas de containers com lixo para o Brasil, afirmando inclusive que era material reciclável.
(Assista o vídeo http://tvig.ig.com.br/133617/europa-manda-containers-de-lixo-pro-brasil.htm).

Neste aspecto, os limites impostos pelo processo de desenvolvimento atingiram seu auge, levando a um estrangulamento das relações sociais, da obtenção de matéria-prima para a indústria e possivelmente um limite de desenvolvimento que nunca foi previsto pelo capitalismo. As preocupações com a questão ambiental surgem no momento em que o modelo de desenvolvimento capitalista enfrenta estes problemas, pois a dinâmica internacional parece ter atingido, no capitalismo, um patamar de mundialização nunca antes experimentado. Com isso se percebe, que o modelo da sociedade industrial não é mais suficiente para satisfazer as necessidades criadas por ela mesma.

Como já se verificou, a aclamada “explosão demográfica” não ocorreu, pelo menos não na intensidade e da forma que se imaginava. Ideias como capacidade de suporte, parecem permear as principais discussões no âmbito destes tratados e convenções, embora não se tenha feito uma análise pormenorizada neste trabalho, a impressão geral que fica nos acordos internacionais de cunho ambiental é que permanecem direcionados à uma preocupação com a superpopulação como o grande problema em relação à conservação ambiental, quando na verdade esta abordagem somente mascara a realidade muito mais complexa e aterradora.

No fim das contas, as transformações do século XX nos remeteram à uma realidade onde a produção de alimentos, energia, produção de uma maneira geral, superou em muito as taxas de crescimento da população. Assim, ao invés de, comodamente, atribuirmos a culpa no crescimento indiscriminado da população (principalmente nos países em desenvolvimento) porque não se procura observar os níveis e taxas de crescimento de consumo produzido pela dinâmica da sociedade contemporânea?

Para pensarmos um pouco nessas questões, assista também o curta História da Coisas (20 minutos) e depois tire suas conclusões.

Na PARAIBA é assim...

RECEBIE ESSE MATERIAL DA MINHA COLEGA VILMA DA ESPECIALIZAÇÃO, MULHER QUE TENHO MUITO RESPEITO E TRAVA UMA GRANDE LUTA NO MUNDO DA INCLUSÃO.

Segundo o dicionario wikepédia, regionalismo é o conjunto das particularidades linguísticas de uma determinada região geográfica, decorrentes da cultura lá existente.

Aqui no Brasil, devido ao fato de a povoação ter ocorrido em regiões distintas e distantes entre si (litoral nordestino, litoral fluminense e interior mineiro, por exemplo), o traço cultural de cada região influenciou o próprio desenvolvimento idiomático do português, ao longo da história. Em outras palavras, em cada região brasileira a língua portuguesa sofreu diferentes influências culturais, e por isto incorporou diferentes formas de expressão, o que aos poucos deu origem a diferentes dialetos, diferentes modos de expressar ou representar uma mesma idéia ou história, um mesmo sentimento ou conceito. Na nossa Paraíba, não podia ser diferente e os diferentes falares são facilmente identificados. Vejamos algumas palavras do dicionário”paraibês”:

Marmota, incabulado, abuticado, empaxado, catráia, varei, peínha, iapôi, môi, pipôpo, brebote, malamanhado, mundiça, pabulage, penca, pastorar, puxavanco, troço, cipuada, arrochado, infitete, catabi, pamtimj, bigu, arripunar, peba, ôxi, isonô, goipada, istopô, arrombado, gôto, fulera, quenga, botico, bixiga, ruma, vôte, furnido, torar, mulesta, apurrinhar, túia, fiteiro, canguêro, inhaca, incréu, bigodete, frexêro, lascô, visse, incriquiado, caçote, magote, xingar, cangapé, pinico, arisia, cruzeta, inguiar, imburacar, ronceiro, disunerar, trepeça, chamboque, amuado, presepada, coió, intruado, guelar, poivar, tronxo, boiar, impaiá, gastura, bambo, ronceiro, distrenado, mangar, lezo, muido, ariado, ronxa, carrêgo, intratante, folote, azilado

Vilma Candido



Veja também outro texto legal

SÓ NORDESTINO ENTENDE...

Botão é pitoco
Se é miúdo é pixotinho.
Se é resto é cotoco
Tudo que é bom é massa
Tudo que é ruim é peba
Rir dos outros é mangar
Se é franzino é Xôxo
Se é bobo é leso
O medroso chama-se Frouxo
Se está estranho Ta Tronxo
Sem dinheiro é Liso
Pernilongo é muriçoca
Entrar sem licença é emburacar
Sinal de espanto é Vôte
Se está folgado tá Folote
Sujeira no olho é remela
Gente insistente é pegajosa
Agonia é Aperreio
Meleca se chama Catota
Gases se chamam bufa
Mau cheiro de suor é inhaca
Se está chateado é Lundun
Mancha de pancada é Roncha
Palhaçada é Munganga
Desarrumado é malamanhado
Pessoa triste é borocoxô
Passear é bater perna
Estouro se chama pipôco
Confusão é Rolo
Que coisa é Oxente
Negocio é Troço

E assim mesmo visse?
Eita troço arretado é ser nordestino.



Abraço

CONGRESSOS



Conheça os grandes congressos que estarão acontecendo agora em setembro:
I COLÓQUIO NACIONAL
ESTUDOS INTERDISCIPLINARES SOBRE INFÂNCIA E JUVENTUDE

















Entre os dias 22 e 25 de setembro de 2009, Campina Grande, na Paraíba, sediará o Seminário Internacional "Desenvolvimento Sustentável e Territórios Rurais: Desafios para a Ação Pública", evento chancelado pela Coordenação Binacional do Ano da França no Brasil e organizado pela Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) e pelo Centro de cooperação internacional em pesquisa agronômica para o desenvolvimento (Cirad). O evento acontecerá no auditório da FIEP (Federação das Indústrias do Estado da Paraíba).

http://www.unicampo.org.br/francabr/index.php?option=com_frontpage&Itemid=1
ESTAREI APRESENTANDO UM TRABALHO SOBRE A CULTURA DA CASTANHA PARA O DESENVOLVIMENTO SOCIOECONOMICO DO MUNICIPIO DE CUITÉ - PB
















ESTAREI APRESENTANDO UM TRABALHO SOBRE: DO LIXO À RECICLAGEM: UMA AÇÃO EMPREENDEDORA SOCIAL, ECONÔMICA E AMBIENTAL

O homem e o lixo.

video
_____________________________________________________________________________________ LIXO!!!


RESÍDUOS SÓLIDOS - UMA QUESTÃO DE CIDADANIA
O lixo é um desafio da maioria das cidades

A cada dia que passa a tendência de uma produção desenfreada de resíduos oriundo da atividade humana é descartada e conhecida pelo nome de lixo. A população cresce e com isto esta espécie humana teima em usar o planeta como uma imensa “cesta de lixo”, sem se dar conta que um dia destes poderá acordar sem espaço para dispor da grande quantidade de resíduos produzidos por pessoas. Com certeza estes resíduos estão ligados ao consumo e a cultura dos descartáveis. Não podemos mais fechar os olhos, colocar viseiras fingindo que está tudo bem, está na hora de abrir a mente e mudar nossas atitudes e hábitos.

O lixo é um desafio da maioria das cidades, visto que os impactos sócio-ambientais são cada vez mais preocupantes, elucidando: contaminação das fontes de água usada para o abastecimento público e a degradação da paisagem e de seus predicados naturais. Diante deste contexto sabemos da necessidade de que cada cidadão seja responsável pela sua geração e cuidado com o lixo, e que por meio de pequenas ações podem produzir grandes significados. Isto quer dizer que temos uma responsabilidade com o ambiente e devemos procurar reduzir a quantidade de lixo produzida e dar a ele a correta destinação. Sabemos da responsabilidade do poder público quanto a coleta e disposição final do lixo nas grandes cidades, nas indústrias e no meio rural, mas antes disto cabe sim a nós cidadãos a função de reduzir estes produtos que gerem lixo, separá-los e acondicionar adequadamente o lixo produzido a agir conscientemente no sentido de cobrar do poder público a destinação correta dos resíduos.

Mesmo os mais otimistas já observam um cenário futuro nos quais esta questão é decisiva para a manutenção da qualidade de vida de todos nós e do planeta, e uma das alternativas talvez seja os famosos “3 Rs” , reduzir a quantidade de lixo, reutilizar tudo o que for possível, reciclar o lixo que pode ser usado em novos produtos, pois o que é lixo para um poderá ser insumo para outro e assim por diante. Percebe-se que os materiais com maior percentual de reciclagem são aqueles que têm maior valor no mercado de recicláveis, como no caso das latinhas de alumínio e alguns tipos de papel, isto ainda é muito pouco a percepção do cidadão precisa estar ligada a um valor maior a uma riqueza maior percebendo que economia e ecologia devem andar juntos. Para o município, a coleta seletiva e a apropriada destinação final de lixo não podem ser tomada como atividades lucrativas.

O tratamento dos resíduos sólidos deve ser implantado com base em seus benefícios sociais e ambientais; enfatizando a redução de custo com aterros sanitários ou incineração; maior vida útil dos aterros sanitários; diminuição de gastos com área degradadas pelo mal acondicionamento do lixo; sensibilização e conscientização da população sobre o meio ambiente, uma sociedade mais educada, mais afinada, o que representa uma economia de recursos gastos com limpeza pública; melhoria das condições ambientais e de saúde pública; geração de emprego diretos e indiretos, com concludente resgate social dos catadores de lixo.

Este assunto não se esgota porque é vasto demais para ser tratado somente em algumas linhas, mas a intenção maior é provocar que nós somos cidadão responsáveis sim pelo lixo que geramos e que precisamos adotar práticas de reciclagem, coleta seletiva e redução do consumo de recursos naturais, e mais ir muito mais além: corroborar com outras pessoas, demandar atitudes e posicionamentos dos governos apresentar-se como consumidores conscientes e ratificar que queremos o melhor para nossa família e principalmente para o nosso planeta. Será muito isto? Acredito que não. Talvez não possamos mudar o mundo todo de uma vez, mas podemos começar pela nossa casa.

Mudança climática pode afetar inclinação do eixo da Terra


Mudança climática pode afetar inclinação do eixo da Terra



Há alguns dias falávamos sobre os perigos do aquecimento dos oceanos, como o desaparecimento dos corais. Agora, um estudo publicado esta semana adverte sobre um novo perigo: o de uma possível alteração na inclinação do eixo terrestre.

A Terra gira em torno de um eixo que possui uma inclinação de 23,5 graus na vertical, e esta posição está constantemente mudando à medida que se altera a distribuição das massas de terra sobre o planeta. Segundo um artigo da New Scientist, já foi comprovado que a mudança climática altera o eixo terrestre. De fato, o derretimento das geleiras da Groenlândia está fazendo com que o eixo se incline 2,6 centímetros anualmente, e é provável que este número aumente nos próximos anos.

Mas agora, descobriu-se que o aquecimento do oceano também pode aumentar a inclinação do eixo terrrestre.
Um grupo de cientistas realizou projeções sobre o que ocorreria se os níveis de dióxido de carbono duplicassem no período 2000-2100. Segundo o estudo, quando os oceanos se aquecem e se expandem, mais água é “empurrada” em direção à superfície do oceano, e este efeito poderia fazer a Terra se mover 1,5 centímetros por ano em direção ao Alasca e Havaí.

Os pesquisadores advertiram que a mudança climática também poderia afetar a velocidade de rotação terrestre: se as massas de terra se redistribuírem em latitudes mais altas, isso poderia fazer o planeta girar com uma velocidade maior.

Apesar de estas descobertas não representarem, neste momento, uma ameaça ou mudança iminente, elas demonstram até que ponto o aquecimento global pode afetar o equilíbrio da terra. E reafirmam a necessidade de um acordo em Copenhaguen que detenha as emissões de gases do efeito-estufa na atmosfera.

Minha PARAIBA!

Caros internautas!

Assistam esse clipe e conheça lugares encantadores que só a PARAIBA tem.

video


Navegue por esses links e conheça mais a Paraiba.

http://www.brasil-turismo.com/paraiba.htm

http://www.paraiba.com.br/

http://pt.wikipedia.org/wiki/Para%C3%ADba

http://www.paraiba.pb.gov.br/

Objeto de Estudo da Geografia.

Caros Internautas!

A GEOGRAFIA é uma das ciências humanas que tem por objetivo o estudo do espaço, é concebida também como o estudo da superfície terrestre e a distribuição espacial de fenômenos geográficos, frutos da relação recíproca entre homem e meio ambiente que podemos chamar de ecologia, mas também pode ser uma prática humana de conhecer o espaço onde se vive para compreender e planejar onde se vive.

Dá uma olhada no vídeo abaixo para que você possa aumentar sua percepção crítica sobre o objeto de estudo da geografia e perceber a falta de SENSIBILIZAÇÃO e RESPEITO por parte de nossos governantes dentro deste espaço que vivemos chamado Brasil.


video